facebook instagram twitter youtube youtube
Notice: Undefined index: feed in /home/priscil4/public_html/tocalola.com.br/wp-content/themes/tocalola/header.php on line 88
18 janeiro 2020

Quarto montessoriano para bebê recém-nascido: ter ou não ter berço?

Ambiente Montessoriano | Quarto Montessoriano

✨Quer aprender como apoiar o desenvolvimento natural do seu filho e ajudá-lo a desenvolver o seu pleno potencial? ✨

➡️Vem comigo! 💫 Curso Gratuito: a Educação do Futuro: De 1º a 5 de março de 2021, disponível sempre às 09h da manhã.

➡️Inscreva-se já! 👉🏻 Clique aqui.

Descubra na prática como educar filhos mais independentes, autoconfiantes e criativos!

Me acompanhe no instagram @priscila.guerreiro

———————————-

No post de hoje, respondemos as dúvidas da Cínthia, uma querida leitora do blog, que me perguntou assim:

Tenho muita vontade de aplicar esse método com o meu futuro bebê. Só tenho dúvida se devo começar desde o nascimento ou se espero ele estar um pouco maior… Atualmente, penso em fazer cama compartilhada (mini berço ao lado da minha cama)nos primeiros meses e depois já passar o bebê para a caminha no chão. O que você acha?” 

cama-compartilhada-cosleeper-toca-lola-10

No post anterior começamos a falar de forma prática sobre como montar um quarto montessoriano. Nesse post, abordávamos a questão do colchão no chão e como essa prática pode estimular o desenvolvimento da autonomia da criança.

Com a autorização da Cínthia, responderei as dúvidas dela por aqui pois tenho certeza de que essas respostas esclarecerão as dúvidas de muitas outras famílias que decidem seguir o método.

Aproveito para agradecer a Cinthia pelo carinho e por participar tão ativamente do blog.

coracao-pretopngsemfundo-300x300Quando começar a usar o método Montessori com meu bebê?

Quanto à primeira parte da pergunta: sim, você pode aplicar o método desde o nascimento do seu bebê. 

montessori-toca-lola-10Maria Montessori escreveu que o desenvolvimento infantil se dá em “planos de desenvolvimento”, de forma que em cada época da vida predominam certas necessidades e comportamentos específicos.

Sem deixar de considerar o que há de individual em cada criança, o método propõe que se trabalhe as possibilidades de aprendizado para cada fase do desenvolvimento desde o nascimento.

Aqui, no blog, traremos dicas práticas de como o ambiente montessoriano pode estimular a criança em cada faixa etária. Acompanhe!

coracao-pretopngsemfundo-300x300uso de cama compartilhada acoplada (cosleeper) nos primeiros meses

Quanto à questão do uso do mini-berço, minha resposta terá que ser um pouco mais longa… Isso porque, mesmo pesquisando bastante, até hoje, não encontrei nenhum texto de qualidade que abordasse a questão do recém nascido e do uso do colchão no chão, de modo a encontrar uma abordagem técnica sobre a questão (se alguém descobrir, por favor me avise!).

O que a gente mais lê por aí é: o berço é proibido em um quarto montessoriano!  

OK. Entendo e corroboro com a importância de retirar as limitações da criança para que ela esteja livre para explorar o espaço. Mas a questão é: quanto isso tem fundamento para um recém- nascido, que ainda não coordena de forma autônoma os seus movimentos?

Antes, é bom frisar que o que escrevo neste post é baseado na minha experiência como mãe seguidora do método, como designer de interiores e como pesquisadora curiosa pelo assunto. Não sou uma educadora especialista do método, mas espero que possa te ajudar de alguma forma.

Compartilhando a minha experiência

Quando decidi fazer um quarto montessoriano para a Lola, a dúvida sobre o berço esteve presente desde o início (mãe de primeira viagem que ainda inventa usar um método que ninguém conhecia. Muito doida! 😜 ).

Mesmo assim, por toda a minha confiança no método, decidi que não compraria um berço e que faria um quarto fiel ao padrão montessoriano clássico.

Até o momento em que ganhei um mini- berço e um berço tradicional, de duas amigas queridíssimas (mais uma vez: obrigada Michelle e Amanda pelo carinho!).

O que fazer a partir daí? Seguir o rigor ou usar o que eu já tinha nos primeiros meses, até o momento em que a minha pequena começasse a explorar o espaço? Optei pelo bom senso e não me arrependi nem por um minuto. 

Quando a Lô entrou para uma escola montessoriana, aos 8 meses, a primeira coisa que me chamou atenção no Nido I*  foi a existência de dois pequenos berços no fundo da sala.

*Nido”significa ninho em italiano. Em escola montessoriana, é o nome do espaço para crianças que ingressam dos 4 aos 18 meses, completos até o mês de março- se não me engano. Na prática, durante o ano, o espaço poderá ter crianças de 4 meses até quase dois anos e meio.

Curiosa que sou, logo questionei sobre a presença dos berços e a resposta que obtive à época foi que, uma das características da educação montessoriana é que crianças de idades diferentes idades compartilhem o mesmo espaço.

Assim, como eles recebiam crianças muito pequenas (a partir dos 4 meses)por uma questão de segurança, mantinham o berço para a fase de adaptação inicial dos menorezinhos. Mas passada essa fase inicial, logo, logo, todos já estavam dormindo nos colchõezinhos  sobre o tatame emborrachado no chão. 

Algum tempo depois, conversando com a fundadora da escola (que já existe há mais de 35 anos!),descobri que não há registros de que Maria Montessori tenha se posicionado quanto ao uso do berço para recém nascidos e o que se tinha em voga era uma interpretação adaptada do método, com base nos estudos desenvolvidos por ela com crianças maiores.

Pronto! Foi aí que aboli de vez da minha vida o rigor que vemos nos textos que abordam o tema. Acredito que tamanho rigor seja mais uma precaução, na busca pela fidelidade ao método, do que algo construído verdadeiramente em bases científicas.

O Quarto da Lola

Assim, nos primeiros 4 meses, minha filha dormiu junto à minha cama, naquele mini-berço que ganhei. Depois, dos 5 aos 8 meses, passou a dormir no berço maior, já no quartinho dela.

Aos 8 meses, quando entrou para a escola montessoriana, ela já engatinhava bem, dormia na altura do chão e já explorava o seu quartinho livremente e cheia de alegria. Olhem o sorrisão!! 🙂

toca-lola-montessori-100

Assim, a adaptação dela ao método foi tão boa que, aos oito meses, já desmontamos o berço e o repassamos para outra amiga que estava grávida.

As respostas motoras, sensoriais e cognitivas vieram em uma velocidade impressionante.  Aos 10 meses ela começou a andar. Não sei se foi coincidência, mas acreditamos que a liberdade e o estímulo dados pelo Método Montessori para explorar o espaço realmente potencializaram as conquistas da nossa pequena. Era uma delícia acompanhar essa evolução diária! 🙂

Hoje, se eu tivesse um segundo filho, acredito que não compraria um berço para deixá-lo apenas alguns meses. Apesar de amar o design de muitos berços existentes no mercado (E realmente existem uns incríveis! Liiiindos demais mesmo!), ao optar por um quarto montessoriano, não investiria um valor tão alto para usá-lo por tão pouco tempo.

O que eu faria, certamente, seria optar pela cama compartilhada nos primeiros meses, comprando um mini-berço (ou co-sleeper) para usar ao lado da minha cama.

cama-compartilhada-toca-lola-2 cama-compartilhada-cosleeper-toca-lola-5

Cama compartilhada (Co-sleeper)

Na época, em 2014, ainda não se falava muito sobre “cama compartilhada”, mas foi essa a minha escolha para a Lola e não me arrependo. Dormíamos mais seguras e emocionalmente acolhidas: ela e eu!

Outro aspecto bem importante foi que, como ela mamava no peito (E muito!), era realmente um conforto para mim tê-la tão próxima nas mamadas da madrugada (Sim! Mães também precisam de conforto! E COMO! :)).

Ok! Eu sei que não é muito fácil de achar opções à venda no Brasil, mas os projetos mais simples podem ser facilmente reproduzidos por um bom marceneiro. Inspire-se!

cama-compartilhada-cosleeper-toca-lola-6

 

104080129-300x292

Caso você também não queira comprar um mini-berço e busque uma opção intermediária, uma boa opção pode ser usar o próprio moisés sobre o colchão nos primeiros dois/três meses.

Cama-montessori-1-300x208

 

De todo modo, antes de fazer a sua escolha, é muito importante que converse com o pediatra do seu bebê sobre as opções disponíveis e ouça a opinião do médico sobre a melhor opção, de acordo com a saúde do seu bebê.

Isso foi o que deu super certo para mim e para minha família. Compartilhando essa experiência, espero ter te ajudado a pensar sobre as opções disponíveis , de modo a encontrar a que melhor se adapta à sua família.

Gente, este posto ficou  meio longo, eu sei…  Mas, como vocês sabem, sou uma entusiasta do assunto. Assim, acabo me empolgando mesmo e esqueço que as pessoas buscam textos curtos na internet. Prometo me esforçar para reduzir os próximos, tá? 😉

Quer aprender sobre neurociência e desenvolvimento infantil, conhecer o que é o Método Montessori e entender se esse é o estilo de educação que você busca para sua família? Clique no link abaixo e conheça o meu curso MONTESSORI ALÉM DO QUARTO: INTRODUÇÃO AO MÉTODO MONTESSORI:

https://priscilaguerreiro.com.br/introducao-metodo-montessori

 
Este post te ajudou de alguma forma? JÁ CONHECIA O MÉTODO?

Você tem alguma experiência que gostaria de compartilhar conosco?

Comente, CURTA E Participe!

ASSIM, VOCÊ NOS AJUDA A TORNAR a nossa toca um lugar cada vez mais INSPIRADOR! 

favicon

Grande beijo!

Pri Guerreiro

designcomafeto-300x102

Fontes: Lar Montessori , Pinterest

93 Comentários

  1. Pati • em 23 de julho 2017

    Adorei o texto, muito interessante e de grande ajuda para quem compartilha do desejo de um quarto Montessori. Parabéns pelo texto, pela experiência compartilhada. Já virei fã do blog!

    • Priscila Guerreiro • em 24 de julho 2017

      Oi Patrícia! Fico muito feliz por esse retorno! Compartilhar essa minha paixão pelo design infantil e pela criação do espaço dos pequenos é realmente o que me move! Grande beijo! 🙂

  2. Vívian Rebouças • em 25 de julho 2017

    Muito bom. Estou grávida do 1o filho e estou muito entusiasmada para fazer o quarto da minha filha do jeito q vc descreveu. Obrigada

    • Priscila Guerreiro • em 26 de julho 2017

      Oi Vívian! Que bom que você gostou! Fico muito feliz com esse “feedback”!:) Parabéns pela gravidez, continue se inspirando por aqui com a gente e muito sucesso com o o quartinho do filhote! Grande beijo!

  3. Rose • em 25 de julho 2017

    Olá muito legal seu post. Adorei mesmo eu tenho as mesmas dúvidas e me ajudou muito. Encontrei no mercado um berço montessoriano da Quarter é um berço que vira cama montessoriana apesar de não ser com colchão no chão. Que achei bem interessante.

    • Priscila Guerreiro • em 26 de julho 2017

      Oi Rose! Obrigada! 🙂 Não conhecia esse berço… Vou pesquisar! Se puder, depois compartilhe com a gente o que achou do berço, tá? Grande beijo!

    • Vanessa • em 22 de março 2018

      Gostaria muito de conhecer este berço 😍

  4. amanda mota • em 26 de julho 2017

    Olá Priscila! muito bom seu texto, nos da uma luz em meio a tantas expectativas e ideias, estou a espera do meu primeiro filho e encantada pelo metodo Montessori, minha preocupação na verdade é quanto a amamentação, no quarto Montessori não vejo a figura da poltrona, nesse caso fazemos como? no chão mesmo de hora em hora? Você tem alguma ideia ou relatos?

    Obrigada e parabéns pelo conteúdo

    • Priscila Guerreiro • em 27 de julho 2017

      Oi Amanda! Parabéns pela gestação. Obrigada pelos elogios e pelas perguntas.:) Fico muito feliz em ver tanta gente interessada em conhecer e aplicar o Método Montessori e ainda mais feliz por perceber que o blog está sendo um eficiente meio de esclarecimento e de inspiração para tantas famílias que desejam aplicar o método com seus pequenos. Quanto a sua pergunta, ela é bem interessante e é a dúvida de outras leitoras que também já me enviaram o mesmo questionamento … já está anotado e prometo fazer um post específico para esclarecê-la em breve, quando retomaremos o ambiente montessoriano, ok? Um grande beijo!

  5. Carol Queiroz • em 31 de julho 2017

    Priscila, estou grávida do meu primeiro filho e estou pensando em fazer um quarto Montessoriano, mas estou com muita dúvida. A questão é a seguinte: só tenho um quarto extra na minha casa e desejo ter outro filho sem muita demora. Fico c medo de botar duas caminhas no chão e o mais velho aprontar c o menor. Seu q é meio precipitado, mas queria fazer algo já pensando no próximo…

    • Priscila Guerreiro • em 1 de agosto 2017

      Oi Carol! É bom demais ler esse seu retorno! 🙂 Sua questão foi anotada e logo virará um post no blog, ok? Mas já posso te adiantar duas coisas:
      1- muito bacana essa sua intenção de criar um espaço já pensando em como esse ambiente poderá se adaptar a uma nova dinâmica familiar no futuro. Perfeito! Vai facilitar muito a sua vida.
      2- Se você está decidida a seguir o Método Montessori, acredito que realmente não precise se preocupar com a diferença de idade entre os pequenos. Maria Montessori defendia o convívio de crianças de idade diferentes, porém próximas, para assegurar uma atmosfera de aprendizado cooperativo, trabalho em equipe, incentivo à interação social e para o desenvolvimento emocional. Em uma uma escola montessoriana, as classes são sempre de idades mistas, podendo reunir duas ou três faixas etárias. Grande beijo! Pri

  6. Marcia • em 8 de agosto 2017

    Oi!! Adoro seu blog, mas só descobri depois de ja ter montado o quarto da minha pequena e ainda ter comprado um moisés… resultado, dois berços que mal uso (o moises atrasou para chegar e minha filha ja dormia comigo na cama, sem falar que ela é grandona e ama dormir com os braços abertos, resultado: nao deixo no moises porque ela nao tem onde botar os bracinhos e bercinho ta parado)… o outro só uso para ela dormir de dia, mas quero mudar o quarto dela – e estava em busca de saber qual a idade minima para coloca-la no colchao no chao ate que li este aqui 😊 – entao este tb vai ficar perdido… de qualquer forma, ja me apaixonei pelo metodo e vou aplica-lo com certeza! Parabens pela grande ajuda que voce com sua curiosidade nos dá😉

    • Priscila Guerreiro • em 8 de agosto 2017

      Oi Márcia! Fico muito feliz em poder ajudar! Esse seu relato é uma história que vem se repetindo no blog… Algumas mães já me relataram que se apaixonaram pelo método montessori e não sabem mais o que fazer com o berço… Tive uma ideia aqui, por que não começamos uma campanha de doação de berços? Existem muitas instituições carentes que não utilizam o método montessoriano e precisam muito de berços. O que acha? Obrigada pelo carinho! Grande beijo!

  7. Marina Webber • em 8 de agosto 2017

    Oi Priscila! Parabéns pelo seu site, tenho acompanhado suas postagem e gosto muito! Sou arquiteta e meu foco é arquitetura Infantil e tb sou fã do método montessori! Adoro como vc aborda os assuntos, sempre baseados em experiências reais e com muito bom senso. Tenho aprendido muito com vc!

    • Priscila Guerreiro • em 8 de agosto 2017

      Oi Marina!! Obrigada! Esse é realmente o meu maior desejo:que a Toca seja um espaço de constante troca: inspiração e informação com muito afeto. Sucesso para você! Grande beijo.

  8. Larissa • em 12 de agosto 2017

    Minha bebê tem 1 ano e 1 mês e dorme no seu quarto em berço tradicional só que estou pensando em colocar o colchão no chão e fazer o quarto montessori. Minha dúvida é: quanto as trocas como fazer? Sempre troquei ela no trocador em cima da cômoda mas estou me desfazendo dela e não faço a menor ideia como são as trocas nesse estilo de quarto. Como você faz? Troca na caminha? E quanto aos itens para a troca? Estou perdidinha nisso kkk

  9. renata • em 14 de setembro 2017

    oi, amei o post, mas fiquei com uma duvida, como foi a praticidade para vc? tipo, vc trocava ela onde? na sua cama, ou tinha algo alto para trocar? pensando em coluna…rs
    eu ainda não tenho filho, mas estou tentando e quero muito um que meus filhos passem pelo metodo montessoriano.

  10. Danielle • em 16 de outubro 2017

    Oi Priscila, quero te parabenizar pelo blog maravilhoso com ótimas dicas.
    Estou grávida de 4 meses e hoje fiz uma boa pesquisa sobre esse método e estou me apaixonando.
    No entanto, me pintou algumas dúvidas.
    O quando da minha bebê, Maria Flor, é pequeno e no quarto motessoriano não vejo guarda roupas ou cômodas e muito menos poltronas de amamentação, acredito que esses itens sejam importantes, mas estou um pouco perdida em fazer essa adoração.
    Se puder tirar essa dúvida, por favor!♡

  11. Beatriz Carvalho • em 19 de outubro 2017

    Eu estou louca para fazer o quarto da minha bebê assim, mas meu marido não aceita de jeito nenhum. Ele tem medo de acontecer alguma coisa, e ela se machucar enquanto não estamos de olho, ou dormindo.
    Infelizmente não consegui um bom argumento e também tenho medo de acontecer algo, então acho que vamos de berço normal mesmo, até ela crescer

    • Priscila Guerreiro • em 20 de outubro 2017

      Oi Beatriz!! Entendo completamente e o receio do seu marido é totalmente legítimo! Ter um bebê livre é realmente um risco maior e uma grande preocupação dos pais. Mas posso te garantir que um quarto montessoriano a segurança é uma das maiores preocupações e, por isso, ele é bem seguro, eis aqui algumas razões: como tudo é baixinho, na altura do chão, não há risco de queda ( um dos principais causadores de acidentes nessa fase). Outro aspecto importante é que um quarto montessoriano tem poucos móveis e brinquedos, valorizando o espaço livre, e tudo é pensado criteriosamente, o que minimiza o risco de acidentes. O problema maior é que logo o bebê engatinha e não fica só no quarto, né? Por isso, a casa também deve ser preparada, ou utilizada uma medida alternativa, como citei neste post: http://www.tocalola.com.br/quarto-montessoriano-grade-de-seguranca-na-porta/#more-2739 . Enfim, sugiro que leia mais sobre o método e verá que um espaço montessoriano é realmente muito seguro! Grande beijo! Pri

  12. Midiã • em 4 de novembro 2017

    Amei!!! Quero muito fazer o quarto montessoriano para minha filha de 7 e para o bebê que está a caminho e a minha dúvida era usar ou não o berço, agora já sei o que vou fazer…
    Obrigada valeu.

  13. SAMIRA OLIVEIRA • em 8 de novembro 2017

    Boa noite, amei o seu post, estava pesquisando sobre o assunto e totalmente perdida em como montar o quarto do novo bebê. É minha segunda gravidez, com minha primeira filha usei muito pouco o berço convencional, mesmo sem conhecer o método Montessoriano, minha pequena passava a maior parte do tempo em um cantinho especial que havia feito para ela (era uma mistura de tapete sensorial com edredom fofinho, kkkk). O desenvolvimento dela foi muito rápido, andou super cedo e é uma criança super segura, acredito que “deu certo”. Agora que conheço um pouquinho mais sobre o assunto veio a dúvida: como proceder com um recém nascido? O pós parto para as mamães é um pouco complicado também, o abaixar e levantar é o que mais me preocupa. Gostei bastante da ideia do mini berço, acredito que vou aderir. Muito obrigada, beijos.

    • Priscila Guerreiro • em 16 de novembro 2017

      Oi Samira! Que delícia esse seu relato! Não acredito em radicalismos e acho que o embasamento teórico deve andar lado- a- lado com as necessidades da vida prática ou não funciona. O blog surgiu da minha vontade em aliar as minhas pesquisas à experiência prática de mãe. Fico feliz que esteja ajudando outras famílias. Sucesso com o projeto do quartinho do novo baby! Um grande beijo!

    • Mariana • em 23 de fevereiro 2018

      Acabei de conhecer seu blog e estou amanda as dicas, minha dúvida e do meu marido quanto ao colchão no chão é em questão ao pós partoa e ao primeiro mês.
      Não fica difícil ficar colocando e tirando o bebê de uma altura tão pequeno podendo estar com os pontos da cesário (se for o caso) ou até mesmo por eles serem tão pequenos e no início precisarem de mais cuidado?

      • Priscila Guerreiro • em 24 de fevereiro 2018

        Oi Mariana!! Sua dúvida é uma das mais comuns para quem pensa em um quarto montessoriano sem berço. Essa situação dos primeiros meses é facilitada com o uso do mini-berço e trocador. peças pouco comentadas em quartos montessorianos, mas que não são proibidas, como a maioria das pessoas pensa. Sugiro que, com a lupa de pesquisa do blog, dê uma olhadinha nos posts com esses temas: mini-berço e trocador. Se ainda tiver dúvidas, não exite em perguntar, tá? Grande beijo! Pri

  14. Thais Alves • em 17 de novembro 2017

    Olá Priscila, parabéns pelo post e pelo blog! São poucos os lugares que podemos encontrar informações e experiências com o método, e o seu blog vem me ajudando muito. Estou com 24 semanas, à espera da Luiza, mas ainda tenho alguns receios. A minha intenção é, com toda certeza, ter um berço para deixá-la pertinho de mim nos primeiros meses de vida. A princípio tenho olhado alguns mini berços, com a intenção de deixá-la nele até os 6 ou 7 meses, e depois sim usar a cama montessoriana. A questão é a medida dos mini berços: os colchões são de aproximadamente 40 cm de largura por 90 cm de altura. Será que esse tamanho ainda permite um bebê de 6 ou 7 meses? Será que não vale a pena comprar um berço tamanho padrão, ainda que eu deixe de usá-lo em 7 ou 8 meses, como você fez, mas para garantir pelo menos o conforto da minha florzinha até então? Ou arriscar o mini berço e talvez precisar colocá-la na cama montessoriana ainda por volta de 5 ou 6 meses?
    Também é um receio usar a caminha no chão muito cedo. Me ajuda com a sua experiência? Muito obrigada! Grande beijo pra você e sua família!

  15. Valeska • em 11 de dezembro 2017

    Olá Priscila boa noite! Ameeei seu texto. Sou mamãe de primeira viagem, entrando na 15ª semana de gestação. Ao que tudo indica vem uma princesinha por aí *-*
    Estou aqui vivenciando esse misto de amor, medo e ansiedade que pelo que tenho visto é algo eterno na vida das mamães rs e procurando sobre as melhores opções de quartinho encontrei o seu post falando sobre essa novidade que é o quarto montessoriano. Amei sua postagem, amei sua franqueza, e gostaria de agradecer por compartilhar sua experiência conosco. Que Deus abençoe vcs grandemente. Beijos beijos.

    • Priscila Guerreiro • em 13 de dezembro 2017

      Muito obrigada pelo carinho, Valeska! Fico muito feliz em poder ajudar famílias compartilhando as minhas pesquisas e a minha vivência como mãe e designer. É isso o que alimenta e fortalece a Toca Lola! Grande beijo, Pri.

  16. Brenda • em 10 de janeiro 2018

    Estava em dúvida entre o convencional e o montessori mas depois desse post ficou tudo esclarecido. O mobtessori vale bem mais a pena! Ajudou muito obrigada

    • Priscila Guerreiro • em 15 de janeiro 2018

      Fico muito feliz em saber, Brenda!! Espero que curta muito esse espaço com o seu pequeno. Você verá como a ausência de barreiras e o estímulo na medida de um ambiente preparado ajudam o desenvolvimento dos bebês! Espero que curta! Gde beijo! Pri

  17. Letícia • em 23 de janeiro 2018

    Olá tudo bem? Adorei o post e minha dúvida é: tenho um bebê de 6 meses que está dormindo no quadrado, mas quero montar o quarto montessoriano pra ele. Quando ele aprender a andar, engatinhar por aí… ele não vai ficar saindo da cama à noite e durante a soneca, isso não vai atrapalhar o sono dele? Pois ele dorme sozinho, coloco ele no quadrado e ele brinca e se mexe até dormir. Nessa caminha, na hora de brincar, ele vai ficar saindo, andando por aí, e daí terei que interferir pra colocar ele na caminha de volta?

    • Priscila Guerreiro • em 31 de janeiro 2018

      Oi Letícia! Fico feliz que tenha gostado do post. Quanto à sua dúvida, sinceramente, essa nunca foi uma questão para mim e, talvez por sorte, nunca foi um problema com a minha filha. Quando ela dorme, dificilmente acorda fácil. Bebês entram em sono profundo rapidamente, não é? Ela sempre dormiu bem. Na escola montessoriana em que ela estudou desde os oito meses, as crianças também dormia bem, mesmo tendo tudo sempre à sua disposição. Nas minhas visitas à escola na hora do sono, lembro de todos dormindo bem tranquilamente. Acredito que isso se deve a um processo natural em razão de uma palavrinha mágica: rotina. Já li muito sobre isso e, se quiser, podemos conversar melhor sobre o assunto, mas , pela minha experiência, quando você implanta a rotina do sono, eles entendem e aceita que aquele é momento de descanso; em um quarto montessoriano ou não. Mas se o seu bebê costuma acordar e brincar no “quadrado” até dormir, em um quarto montessoriano, acredito que o processo seria o mesmo: ele brincaria até dormir novamente. Consegui esclarecer a sua dúvida? Se ficou mais alguma dúvida, é só entrar em contato, ok? Grande beijo! Pri

  18. Patricia • em 26 de janeiro 2018

    O que acha do uso de ninho redutor ao invés do moises? Estou pensando nisso…

    • Priscila Guerreiro • em 31 de janeiro 2018

      Oi Patrícia!! Sim, adoro o aconchego do ninho! E os bebês também pois eles se sentem mais seguros naquele ambiente justinho que lembra o útero materno! 🙂 Já encomendei o ninho da Antonella e o usarei bastante, principalmente nas sonecas durante o dia.Em breve falarei mais sobre ele por aqui… Mas ficou uma dúvida: quando você diz moisés, está se referindo ao moisés sobre o colchão no chão ou ao mini-berço (co-sleeper)? Se for moisés sobre o colchão no chão, acredito que o ninho substitui tranquilamente. Mas para o período noturno, prefiro o mini-berço apenas pela questão da proximidade com a mãe. Como o mini-berço fica praticamente na mesma altura da cama, confere mais segurança, conforto e praticidade para ambos. Gde beijo! Pri

  19. Sara Soares • em 26 de janeiro 2018

    Oi! Adorei o POST!
    No meu primeiro filho eu já conhecia o método, mas toda a família não concordava… Resultado: comprei um um berço que Miguel nunca utilizou (e terminei doando)pois sempre dormiu na cama cmg e quando saiu dela foi direto para um colchão de solteiro. To esperando o segundo filho e desta vez não queria comprar o berço (para não repetir o mesmo erro). Vi a ideia do Moisés sobre o colchão… Gostaria de saber se Moisés pode ser substituído com segurança por um daqueles ninhos?
    PS: já virei fã do blog!

    • Priscila Guerreiro • em 31 de janeiro 2018

      Oi Sara!! Que alegria saber que virou fã do blog!!:) O que aconteceu com vc é muito comum mesmo… 🙂 A família ainda costuma resistir um pouco… 🙂 Quanto ao ninho, vale a mesma resposta que dei para a Patrícia: “Sim, adoro o aconchego do ninho! E os bebês também pois eles se sentem mais seguros naquele ambiente justinho que lembra o útero materno! 🙂 Já encomendei o ninho da Antonella e o usarei bastante sobre o colchão no chão, principalmente nas sonecas durante o dia. Acredito que o ninho substitui o moisés tranquilamente e com segurança. Já para o período noturno, prefiro usar o mini-berço apenas pela questão da proximidade com a mãe. Como o mini-berço fica praticamente na mesma altura da cama, confere mais segurança, conforto e praticidade para ambos. Gde beijo!Pri 🙂

  20. Anne Francis • em 2 de fevereiro 2018

    Comecei a entender o montessoriano aqui , vc esclareceu bastante.
    Mais minha pergunta é outra , serei mãe pela primeira vez , e acho q n será nada confortável eu voltar da maternidade e ter q me AGACHAR o tempo todo pra colocar e retirar o BB do colchão no chão , haja coluna , não ?? Meu esposo tem 1,95 impossível ele ficar se abaixando , ..vcs nunca pensaram nisso ?? Ou eu estou sendo preguiçosa ou só eu sinto dores na coluna ? Devemos pensar apenas no conforto do bebê ? E a mãe ? Fico imaginando eu com corte de cesárea tendo q agachar pra colocar e retirar do colchão….

    • Priscila Guerreiro • em 3 de fevereiro 2018

      Oi Anne!! Tudo bem? Fico feliz que esteja gostando do blog e aprendendo sobre o método com a gente! 🙂 Estou rindo aqui pois, vendo o seu relato, vi a minha família há 4 anos atrás… Meu marido tem 1, 97 cm!!! As dúvidas eram as mesmas!!hahahaha Agora que estou grávida novamente, ficou tudo mais fácil porque já passamos por essa experiência. Contei no blog toda a nossa experiência em um post específico sobre o trocador. É só colocar a palavra “trocador” na lupinha de busca do blog. Se você ainda tiver alguma dúvida, não deixe de perguntar, tá? Grande beijo! Pri

  21. Gabi • em 3 de fevereiro 2018

    Oi Priscila!!!
    Simplesmente ameeeei seu blog! Tudo que eu precisava ler! A minha dúvida era exatamente sobre o berço! Estou pensando em comprar aqueles desmontáveis, que vai ser útil para viajar além de poder utilizá-lo em casa até o bebê ter uns 6-7 meses e depois transfiri-lo para o colchão! O que vc acha? Na segunda gravidez, como vc fará o quartinho?
    Muito obrigada por todas as informaçoes!!!!
    Beijos!!!

    • Priscila Guerreiro • em 4 de fevereiro 2018

      Oi Gabi!! Obrigada pelo carinho! Fico feliz que esteja gostando do blog! 🙂 Quanto ao berço desmontável, realmente nunca usei pois nunca senti essa necessidade. Em casa tínhamos o mini-berço e, nas viagens, os hotéis normalmente dispõe desse tipo de opção (é só pedir antes, que eles montam.) Mas tenho amigas que usaram bastante! Principalmente quando iam para a casa de algum parente. Não vejo problemas nessa “alternativa”, com duas ressalvas: 1- pesquise bem a questão da segurança para a a escolha do modelo pois já li sobre casos de sufocamento no espaço entre o colchão e a lateral. Hoje já existem regras de segurança específicas para esses modelos. 2- Como esses berços são mais profundos e não dispõem de regulagem de altura, podem ser realmente desconfortáveis para a família nos primeiros meses, quando precisamos colocar e retirar o bebê por muitas vezes. Quanto à minha escolha nesta segunda gestação, contei tudo aqui neste post: http://www.tocalola.com.br/como-escolher-o-mini-berco-co-sleeper/ Espero ter ajudado! Um grande beijo! Pri

  22. Júlia Sales • em 6 de fevereiro 2018

    Oi Priscila! Adorei o blog e esse tema era justamente o que estava buscando! Tava super na dúvida quanto a essa questão do berço pra um quarto montessoriano, e agora as coisas ficaram mais claras! Queria saber de você, sobre quais são os “móveis” que compõem um quarto montessoriano, de maneira geral, pois eu leio algumas coisas por aí e não vejo muita definição. Estou na dúvida sobre a cama e trocador principalmente. Se você tiver alguma referência de leitura que possa indicar, ficaria super feliz! Muito obrigada e grande abraço!

    • Priscila Guerreiro • em 6 de fevereiro 2018

      Oi Júlia!! Fico realmente feliz em receber esse “feedback”! Como é bom ver o quanto as pessoas estão curtindo, se inspirando e aprendendo conosco aqui na Toca! Quanto aos móveis de um quarto montessoriano, existem vários posts no blog falando sobre cada um desses elementos, onde compartilho a minha experiência. Se você colocar na lupinha de pesquisa “quarto montessoriano trocador”, vão aparecer pelo menos três posts falando sobre o assunto. Se vc ainda tiver dúvida, é só me perguntar, tá? De todo modo, já te adianto que estou preparando o quarto da minha filha Antonella que está a caminho e contarei tudinho aqui no blog! Aguarde: Está ficando incrível!! 🙂 Grande beijo! Pri

  23. Juliana Nani • em 6 de fevereiro 2018

    Priscila, seu post foi ótimo, me ajudou muitíssimo. Agora já sei o que fazer com o quartinho do nosso bebê: montessoriano mas, com mini berço ao lado da minha cama no início.
    Muito obrigada e parabéns, a Lola é uma princesa linda. 🙂
    Juliana Nani

    • Priscila Guerreiro • em 6 de fevereiro 2018

      Oi Juliana! Obrigada por tamanho carinho!! Grande beijo!! Continue acompanhando a Toca com a gente! Muita inspiração bacana a caminho! :)Grande beijo! Pri

  24. Thais Sartorato • em 15 de fevereiro 2018

    Olá Priscila. Adorei o post e ainda estou com dúvidas sobre o método montessori. A questão de abaixar e levantar toda hora, pois a cama é no chão. Penso em por minha bebê nesta cama a partir do 6 meses, ms tenho receio da segurança. Eles não param e se mexem de um lado para outro, me da sensação de perigo. Ao nascer, queria por em um mini berço ao lado da minha cama. Após os 6 meses na cama motessori. Mas os pontos que me deixam em dúvidas, são:
    1 – Só a partir dos 6 meses é vantagem? Pois antes disso é mais seguro no mini berço ao lado da cama?
    2 – Como ficam nossas costas nesse abaixa e levanta?
    3 – Ao chegar nos 6 meses e inserir na cama monte, será que é inseguro? Se mexe tanto.. e se pular dali? rs

    Obrigada 🙂

    • Priscila Guerreiro • em 18 de fevereiro 2018

      Oi, Thais! Que bacana! Você não imagina o quanto eu fico feliz com essa mensagem. As suas dúvidas são super normais para quem começa a conhecer o método e também foram as minhas quando comecei a pesquisar e vivenciar o método. As respostas são complexas para te responder por aqui…:) mas existem vários posts no blog onde compartilho a minha experiência e que podem esclarecer essas suas dúvidas. Vou tentar te ajudar nesses caminhos. Vamos às suas dúvidas:
      1- Acredite: sempre há vantagens em introduzir o método com os pequenos. Método à parte, o uso do mini -berço ao lado da cama dos pais até os 6 meses é atualmente é recomendado pelas sociedades brasileira e americana de pediatria. Fiz isso intuitivamente com minha primeira filha e farei agora com a segunda. Posso te garantir que não atrapalhou em nada o desenvolvimento do método. Sugiro que coloque na lupa do blog “mini-berço” ou “recém-nascido” e se quiser saber mais sobre essa experiência.
      2- Apesar de muitas pessoas pensarem o contrário, o uso do trocador não é proibido em um ambiente montessoriano. Ele é questionável em qualquer quarto infantil pelos riscos de queda para os pequenos. Sugiro que coloque no lupa do blog a palavra “trocador” se quiser saber mais sobre o assunto.
      3- Um ambiente montessoriano é feito para ser seguro para o bebê, apesar da nossa percepção contrária inicial em ter um bebê tão pequeno tão próximo do chão e com tanta liberdade. Sugiro que coloque no lupa do blog “colchão no chão” e “Quarto montessoriano seguro”.

      Parabéns pelo interesse no método! Vc ficará surpresa com o resultado! Espero ter ajudado! Se ainda tiver alguma dúvida, não hesite em perguntar, tá? Grande beijo, Pri.:)

      Por isso, sugiro que colo Quanto aos móveis de um quarto montessoriano, existem vários posts no blog falando sobre cada um desses elementos, Se você colocar na lupinha de pesquisa “quarto montessoriano trocador”, vão aparecer pelo menos três posts falando sobre o assunto. Se vc ainda tiver dúvida, é só me perguntar, tá?

  25. Mariana • em 22 de maio 2018

    Fica feio fazer apenas a cama montessoriana num quarto com guarda-roupas e cômoda convencionais?
    É assim que pretendo fazer o quarto do meu bebê… na realidade já comprei os móveis, falta apenas a cama/berço e senti vontade de utilizar esse método ao menos na cama, na caixa de brinquedos, no canto da leitura, etc.
    Alguém já teve quarto normal com mini-cama montessoriana?

    • Priscila Guerreiro • em 22 de maio 2018

      Oi Mariana! Claro que não fica feio! Mesmo utilizando parcialmente o método, você certamente já verá benefícios. Aos poucos, de acordo com a necessidade e a resposta que você for sentindo do seu bebê, você verá a necessidade ou não de adaptar o restante do espaço ao método. Siga seu coração e seja feliz com seu pequeno! Gde beijo, Pri;)

  26. Regilane Alves • em 29 de maio 2018

    Olá!!! Sei texto foi um divisor de águas para mim. Pois vc coloca o que vc viveu, seus medos, acertos. Estou grávida de gemeos…. depois de 10 anos tentando… Mas agora eles estão aqui!!! Me acalentado. Venho lendo sobre este método, mas por ser dois, os quartos no 2 and., escadas, e a segurança? estava insegura. Seu texto me deixou mas leve. Posso mesclar a mini cama e fazer a transição, no meu tempo, rs rs rs!!! Pois sou eu que vou precisar..! Beijos!!!

    • Priscila Guerreiro • em 5 de junho 2018

      Oi Regilane! Fico muito feliz pelo seu feedback! É muito bom saber que ajudo outras famílias compartilhando essas minhas pesquisas e experiências:) Quanto à questão da segurança, sugiro que coloque na lupa de pesquisa do blog: quarto montessoriano seguro. Tem post específico sobre isso. 😉 Gde beijo! Pri

  27. Paula • em 8 de junho 2018

    Olá Priscila! Parabéns pela objetividade dos seus textos…são de grande valia para mães que estão pesquisando como montar o quarto do bebê.
    Li acima um comentário à respeito de um berço da Quater, que se transforma numa minicama montessoriana (https://www.americanas.com.br/produto/29945433/berco-montessori-quater-branco-fosco?cor=Branco&pfm_carac=FIGUEIREDO%20M%C3%93VEIS%20E%20DECORA%C3%87%C3%95ES&pfm_index=1&pfm_page=seller&pfm_pos=grid&pfm_type=vit_product_grid&sellerId=73914210000169&tamanho=%C3%9ANICO), e também achei interessante.
    Minha dúvida é se a lateral da caminha que apóia o colchão pode atrapalhar a liberdade do bebê em sair da cama, ou se seria a mesma coisa que um colchão no chão…Como é um item caro, gostaria de ter a certeza de que atenderia à expectativa de um quarto montessoriano. Também tenho dúvida se o investimento valeira à pena, visto que o colchão é de 1,30 m de comprimento, e me atenderia poucos anos.
    Bjos,
    Paula

    • Priscila Guerreiro • em 6 de dezembro 2019

      Oi Paula! Fico muito feliz em saber!:)Eu não recomendaria essa peça por dois motivos: 1- não fica na altura do chão, gerando risco de queda quando está sem a lateral. 2- O colchão pequeno te impedirá de deitar com sua filha, curtindo momentos juntas de leitura e brincadeiras. Sugiro um colchão de solterior, realmente na altura do chão ou o mais próximo possível. Bjs, Pri

  28. Day • em 13 de junho 2018

    Nossa! Que bom que encontrei você! Rs estou aqui me roendo porque minha filha tem 5 meses, o quarto Montessoriano quase pronto, mas ele AMA o berço dela… Estava na duvida se fazia o quarto esperar (mais) ou tentava por ela e ver no que dava! Agora fico mais tranquila! Vou levar o berço pra lá! Kkk ao menos mais umas semanas e depois faço a transição! Obrigada pela ajuda. Bjooo

    • Priscila Guerreiro • em 14 de junho 2018

      Que bacana, Day!! Fico realmente feliz que tenha ajudado! Depois conte para a gente como foi essa transição.;) Grande beijo, Pri!

  29. Paula Camilla • em 31 de julho 2018

    Olá Priscila!! Hoje buscando textos sobre o método montessori me deparo com vc! Obrigada pela ajuda!! Estou de 21 semanas e minha ansiedade pelo quartinho da Manu já está a mil.. Queria mto montar o quartinho dela nesse método, mas ao mesmo tempo queria um berçinho que estou apaixonada nele (aqueles 3 em 1 – que a primeira fase é ele redondinho, sabe?!) enfim.. minha resistência a princípio é em deixar a bebê tão novinha dormindo no colchãozinho no chão.. sei que é uma bobeira.. mas até mesmo para a mãe acredito que no início não deve ser fácil (haja coluna!!) ficar pondo e tirando da caminha no chão.. Seu texto me ajudou mto.. vou começar a pensar em um “moisés” ou algo do tipo.. Não pensamos em cama compartilhada, pois temos na família um caso de cama compartilhada que perdura até hj (criança com 04 anos!!!!) .. mas tdo pode mudar!!
    Um grande beijo e obrigada mais uma vez!!

    • Priscila Guerreiro • em 1 de agosto 2018

      Oi Paula! Que coisa boa ler essa sua mensagem! Fico feliz que os meus textos tenham te ajudado a preparar no espaço que vai receber a Manú! Muita alegria e amor para vocês! Grande beijo! Pri

  30. Meiry • em 6 de agosto 2018

    O melhor blog sobre quarto montessoriano que encontrei até o momento. Essa dúvida sobre o berço vinha me incomodando e,enfim, encontrei algo sobre o tema. Ah, e pode fazer posts loongos, a gente agradece a riqueza de detalhes e informações úteis rsrs. Bjs!!

  31. Meri • em 10 de agosto 2018

    Meu bebê tem 7 meses e meio..não engatinha ainda.
    O berço que co prei desmontou com ele dentro.
    Penso em colocar ele na caminha montessoriana porém eatoi com medo que ele caia.
    Alguma dica por favor?
    Ele ja deita..rola..fica de quatro e etc… Só não engatinha ainda.
    O que faço?

    • Priscila Guerreiro • em 14 de agosto 2018

      Oi Meri! Que susto, hein! Então, você deverá proteger o chão com tapetes. Dessa forma, como a altura da cama montessoriana é muito pequena e o colchão está praticamente no chão, se ele rolar, não tem perigo algum. De todo modo, caso você prefira, pode proteger a cama com rolinhos, como fiz no quarto da minha filha Antonella. Se quiser conhecer o quartinho dela, é só colocar na lupa do blog: quarto Antonella. Hpje ela ainda te dois meses e dorme no mini-berço, ao lado da minha cama. Mas depois dos 6 meses vai para a caminha dela. Gde bj! Pri

  32. Rada • em 17 de agosto 2018

    Priscilla! Parabéns pelo blog! Amei! Usei tb o co-sleeper, e quando Lázar fez oito meses, foi para o quarto com o irmão, e começou dormir na cama baixa, sem problema nenhum, com uma barreira de madeira, para não rolar e cair. Agora já com 16 meses acorda durante a noite, e vem sozinho para meu quarto rsrs. Grande beijo!

    • Priscila Guerreiro • em 22 de agosto 2018

      Oi Rada!! Fico muito feliz que tenha gostado do blog! É tudo feito com muito carinho! Obrigada por compartilhar a sua experiência de mãe montessoriana! Agora, com a Antonella, pretendo fazer exatamente o mesmo que vc fez com o Lazar, que tb foi o mesmo que fiz com a Lorena. Essas crianças são incríveis! Basta darmos espaço para que elas desenvolvam sua autonomia e elas sempre nos surpreendem! Grande beijo! Pri

  33. Flávia • em 28 de agosto 2018

    O melhor texto sobre o assunto que ja vi na internet
    alias li muuuuuiiiitoooos
    As pessoas nunca expõe a realidade só forçam o método engessado enquanto na realidade nem tudo é como o total planejado.

    • Priscila Guerreiro • em 29 de agosto 2018

      Obrigada pelo feedback, Flávia!! Esse foi o meu propósito ao escrever o blog: aliar as informações obtidas pela pesquisa à visão prática do dia-a-dia como mãe.Fico muito feliz que tenha gostado!:) Continue acompanhando conosco! Grande beijo! Pri

  34. Marizélia Martins • em 16 de outubro 2018

    Olá querida! cheguei até o seu blog porque estou grávida de 5 meses e pensando nesse momento no quartinho do bebê. Sei muito pouco do método Montessori, estou “iniciando” minhas pesquisas agora, e o que já li me interessou bastante. O bebê nascerá no final do verão e a cidade onde moro é muito fria! Fiquei analisando como seria a relação “bebê X chão gelado”. Obrigada por compartilhar suas dicas, me fez repensar no design que estava planejando para o quarto do BBlindo (ainda sem nome). Vou continuar de olho no seu blog.

    • Priscila Guerreiro • em 17 de outubro 2018

      Oi Marizélia! Muito obrigada pelo “feedback”! Fico muito feliz em saber! Sucesso com o método e muito obrigada pelo carinho! Bjs, Pri

  35. Camila Vescovi • em 10 de novembro 2018

    Olá Priscila! Adorei seu post. Já sou mãe de duas princesas e agora na terceira gestação gêmeos…
    Minha primeira filha fiz o quarto tradicional e o que funcionou foi a cama compartilhada, a segunda aproveitou o quarto da primeira, mas TB ficou na cama compartilhada. Porém agora com gêmeos acho improvável conseguir fazer cama compartilhada, daí minha procura por quartinhos Montessori, mas não sei se na prática do dia a dia nos primeiros meses seria funcional. Pois a mamãe aqui vai precisar de estrutura…rs

    • Priscila Guerreiro • em 11 de novembro 2018

      Oi Camila! Fico feliz que tenha curtido o post! Quanto à sua dúvida, quando fala de funcionalidade, acredito que você esteja se referindo, em especial, à questão do trocador, não é ? Se for, temos posts específicos sobre ese assunto. Sugiro que coloque na lupa de pesquisa do blog a palavra “trocador”. Tenho certeza que você se surpreenderá com o conteúdo do post. Se ainda ficar alguma dúvida, é só perguntar, ok? Grande beijo! Pri

  36. Julia Hoffmann • em 20 de janeiro 2019

    Ola Priscila,
    Muito bom o seu texto me indetifiquei bastante, apesar de estarmos alguns anos na frente agora ainda nao tenho muita experiencia com o metodo e sou mae de primeira viagem.
    Eu estarei usando um co-sleeping nos primeiros meses e busco uma caminha no chao.
    Minha pergunta seria, e se o bebe acordar no meio da noite e comecar a vagar pelo quarto?
    ou ao amanhecer? Fico com medo de eu nao acordar… como funciona sera?
    Obrigada

  37. Cecília Severo • em 20 de fevereiro 2019

    Oi Priscila! Nossa, amei o post e seu blog, muito obrigada pela partilha! Estou grávida também do meu primeiro bebê, e durante o ensino fundamental estudei em uma escola montessoriana e foi muito maravilhoso, por isso tenho buscado me informar sobre o método para pensar a maternidade. Uma questão que tenho achado complicado é conciliar a casa para o bebê e para os animais. Tenho um cachorro e um gato, ambas muito dóceis e comportadas, acostumadas com crianças. A vivência em si não me preocupa, mas, por exemplo, brinquedos acessíveis para a criança seriam também acessíveis aos animais. Ambas são bem peludinhas e mesmo cuidando, perdem bastante pelo. Como pensar uma convivência segura partilhada?

    • Priscila Guerreiro • em 21 de fevereiro 2019

      Oi Cecília! Que depoimento rico! Minha visão é de alguém que estuda o método e aplica com suas filhas. A sua é de alguém que já vivenciou o método, aprovou e, por isso, decide aplicá-lo com seus filhos. Já recebi alguns relatos de pessoas que foram alunos de escolas montessorianas e que decidem desenvolver o método com seus pequenos, como você. Isso sempre me enche de alegria pois mostra a correção do método! 🙂

      Quanto à questão dos animais, estou vivenciando exatamente o mesmo problema. Tenho uma buldogue francês, raça que solta MUITO pelo. Tenho uma auxiliar, mas mesmo varrendo a casa algumas vezes ao dia, ainda encontro muitos pelos pela casa. Como a Antonella agora está engatinhando, isso tem sido um algo que realmente vem me incomodando. O que consegui fazer é proibir a Dora de entrar nos quartos das meninas, o difícil está sendo manter a Antonella no quarto pois ela quer engatinhar a casa toda! Cheguei a colocar portãozinho, mas tirei. Vamos lidando com isso dia após dia. Logo logo ela começa a andar e o problema vai diminuir um pouco. Eu espero! 🙂 Grande beijo! Pri

  38. Mariana • em 22 de abril 2019

    Amei o post e super me identifiquei! Ainda não tenho filhos e descobri o método montessoriano e apaixonei! não conheço ninguém que tenha feito isso, e sempre que comento com as pessoas a maioria tenta me desencorajar, dizendo que “na pratica” não é bem assim, mas estou muito convicta que é a melhor opção para mim e para o bebê. Não vejo a hora de começar a planejar cada coisinha! Obrigada pelo texto, me inspirou demais!

    • Priscila Guerreiro • em 1 de maio 2019

      É bem assim mesmo, Mariana! 🙂 Mas se você estiver segura e bem informada, nada disso vai te abalar… Quando você tiver seu bebê e começar a ver os benefícios então! Aí é que você terá ainda mais segurança! Os resultados são práticos e você percebe que está no caminho certo pela resposta da criança! Lindo demais!! Espero ter notícias suas em breve!:) Grande beijo!Pri

  39. BEATRIZ • em 21 de maio 2019

    Também sou uma entusiasta pelo assunto!! Conheci o método através de uma amiga durante a faculdade de arquitetura e me apaixonei, tanto que meu TFG foi uma escola infantil montessori. Amava estudar cada detalhe para aplicação no projeto, além da parte educativa. Quando tiver um filhote com certeza vou querer implementar o método!!

    • Priscila Guerreiro • em 26 de maio 2019

      Montessori é amor! E você já tem esse amor. Mesmo ainda não tendo filhos. Compartilhe esse amor! Parabéns! Grande beijo! Pri

  40. Gabriela Borba Wilson • em 17 de julho 2019

    Excelente texto, nada de longo, do tamanho certo pra fazer os esclarecimentos q vc queria 😃.
    Sou uma entusiasta do método Montessoriano desde os meus 20 e poucos. Assim como vc sou uma curiosa dedicada que pesquisa a fundo temas que me interessam.

    Meu primeiro herdeiro veio só agora perto dos meus 40, uma experiência no mínimo desafiadora, e conversando com uma amiga tb mãe geriátrica (sim, como se não bastasse nós mesmos nos sentirmos “atrasadas” esse é o termo médico para mães acima dos 35 😂😂😂) ela me disse q é possível aplicar Montessori desde bem pequenininhos e foi aí q descobri sei blog.

    De cara já amei 😍.
    Parabéns pela escrita leve, fluida e elucidativa.

    • Priscila Guerreiro • em 18 de julho 2019

      Gabriela, querida! Estou rindo até agora! kkkk Acabei de descobri por você que também sou uma mãe geriátrica, já que minha filha nasceu no anto passado e eu tenho 39 anos!:) Fico muito feliz que você tenha descoberto o blog e esteja curtindo as experiências que compartilhamos por aqui. Felicidade com o seu pequeno e muito amor ao aplicar o método montessori com ele em casa! E já te aviso: Você vai se apaixonar! 🙂 Grande beijo! Pri

  41. Danielle Taylor • em 20 de agosto 2019

    Olá Priscila,
    Amei o texto ajudou bastante em minha decisão.
    Tenho uma dúvida, como você fazia para ela dormir quando começou a engatinhar, colocava ela na caminha e deixava?
    Ela nunca se levantou e ficou brincando ao invés de dormir!?
    Sou apaixonada pelo método.
    Obrigada

    • Priscila Guerreiro • em 2 de setembro 2019

      Oi Daniele! Entendo o seu receio… Mas não, ela nunca levantou para brincar ou invés de dormir. Sempre tivemos uma rotina bem definida para a hora do sono. Quando terminamos a historinha e pagamos as luzes, ela já sabe que é hora de dormir… Também nunca ouvi alguém que tenha tido esse problema em um quarto montessoriano. Gde Beijo, Pri. 🙂

  42. Mariana • em 9 de dezembro 2019

    Adorei o texto, me ajudou muito com essa dúvida. Já havia pensado em usar o berço compartilhado, mas quando meu bebê fosse para o quarto não sabia se já o deixava na cama ou primeiro em um berço.

    • Priscila Guerreiro • em 9 de dezembro 2019

      Que bom! Fico feliz, Mariana! 🙂 Depois me conte como foi essa transição. Grande Beijo! Pri

  43. Gabriela • em 19 de fevereiro 2020

    Nossa!!!!!Estou de 7 meses e essa era minha dúvida!
    Amei seu texto e sua explicação!!!
    Não vou comprar o berço vou ficar com o Moisés e cama no chão!
    Obrigada por me ajudar!!!
    A minha dúvida agora é sobre aquela comoda com gavetas que troca a criança em cima!Ter ou não ter!!!

    • Priscila Guerreiro • em 1 de abril 2020

      Tem post no blog falando da cômoda. Pesquise lá na “lupa” e me diga o que achou. Grande beijo!

  44. Mariana • em 11 de agosto 2020

    Olá, estou grávida do meu segundo filho dps de 19 anos 🙂 muitas coisas mudaram desde então. Me deparei com esse método e lembrei que até 18 meses morei com meu filho no Japão, lá é comum dormir em camas baixas ou no chão, como fazer refeições e etc. O meu filho desenvolveu motoramente muito rápido, de engatinhar para andar foi questão de semanas. Então, hj morando no Brasil vou seguir o método pq sei dos benefícios. Obrigada pelo posto.

Deixe seu comentário!

           

Método Montessori

Receba conteúdos sobre o método Montessoriano e como criar filhos plenos, criativos e autoconfiantes.