22 fevereiro 2019

Chile com crianças: Dicas de Santiago- Parte 2

Na Toca com a Lola | Passeios e viagens com crianças

Se você está pensando em ir ao Chile com com as crianças, o post de hoje é para você! Continuando o texto anterior, hoje falamos sobre o nosso segundo dia em Santiago.

Tem city tour, cerro, zoológico, almoço em Bellavista, Kidzania, parques e muito mais dicas para curtir a capital chilena com os pequenos. Confira!

santiago-com-criancas-cerro-san-cristobal

1- CITY TOUR

Eu já conhecia Santiago mas, como meu marido e minhas filhas estavam visitando a cidade pela primeira vez, achei justo incluirmos na programação aquele tradicional tour turistão, com o ônibus vermelho de dois andares e tudo mais! 🙂

Assim começamos nosso segundo dia na cidade com o tradicional city tour. 

Pesquisei toda a nossa programação, mas devo confessar que subestimei o city tour. Por isso, se você está programando sua viagem e se interessa pelo passeio, no final deste post trago algumas dicas preciosas que eu até então desconhecia.

1. CERRO SAN CRISTÓBAL + ZOOLÓGICO 

Este é o programa em família mais clássico no Chile. Para chegar ao topo do morro (cerro), é possível usar o funicular (uma espécie de bondinho) ou o trenzinho.
Optamos por subir de funicular e descer de trenzinho.
chile-com-criancas-cerro-san-cristoban
Nem preciso dizer que a Lô amou, né? Olhem esses olhinhos curiosos. 🙂
Para quem viaja com bebê, sugiro ir de sling ou outro tipo de carregador, como esse que estou usando:
santiago-com-bebe-cerro-san-cristobal-
Como já sabíamos que eram muitas escadas, com um “entra- e- sai” de lugares apertados, deixamos o bebê- conforto no hotel e levamos apenas o carrinho, que é daquele tipo guarda-chuva, como mostrei aqui.
Ele ficou fechado a maior parte do tempo, mas foi muito útil nos momentos em que a Antonella precisava dormir um pouco mais.
Chegando no alto do cerro, o coração dispara de contentamento!. Que paisagem linda! – pensamos todos. 
OBS: Sempre me perguntam a temperatura da época e eu nunca lembro. Mas, nessa foto, por exemplo, já era quase 14:00h do dia 12 de outubro e ainda usávamos casado.
Acredito que dê para terem uma ideia: mesmo com sol, estava frio. 

Zoológico

No meio do trajeto de descida do cerro fica o famoso Zoológico Nacional, um programa perfeito para os pequenos!
santiago-com-criancas-cerro-san-cristobal-4
Nossa ideia inicial era aproveitar a descida de trem para conhecer o Zôo. Mas, por uma falha de planejamento, acabamos precisando cancelar a visita. Afinal, já estava tarde e todos já estavam com fome.
Então a minha dica é: programe-se bem para esse passeio. Com crianças, eu sugeriria o seguinte:
1-Almoço em Bellavista ;
2-Trenzinho;
4-Passeio no Zoo;
5-fim de tarde no Cerro;
6-Descida de funicular vendo o anoitecer da cidade.
Se a sua viagem for só com adultos, eu manteria a mesma sugestão da programação, trocando apenas a visita ao Zoo pelo “MUSEO La CHASCONA”, a casa feita por Pablo Neruda para sua amada, que fica pertinho da subida do Cerro. Eu conheci o museu na minha primeira viagem ao Chile, em 2009, e fiquei encantada com a poesia do lugar. Vale a pena visitar.

2. ALMOÇO EM BELLAVISTA

Descendo o trenzinho do Cerro, você chegará no bairro Bellavista, um bairro boêmico queridinhos dos brasileiros, repleto de bares e restaurantes.
Lá você encontrará de tudo um pouco, desde bares com mesinhas na rua, no estilo Vila Madalena (para quem mora em São Paulo), até restaurantes sofisticados e premiados. Tem para todos os gostos!

Azul Profundo x Galindo

Eu tinha dois restaurantes no radar: O Azul Profundo, um restaurante de frutos do mar com ambiente temático super bacana, que reproduz as áreas internas de navios e submarinos (um encanto para as crianças!), e o Galindo que, com mais de 40 anos de história, é um dos restaurantes mais tradicionais cidade, mas com aquele clima descontraído e informal de barzinho .
Um fica em frente ao outro, mas são bem diferentes: o Azul Profundo tem ambiente e comida mais elaborados, é muito frequentado por turistas e preço mais salgado. Já o Galindo vive cheio, é frequentado por moradores locais e turistas, tem comida farta, ambiente simples, chopp gelado e preço bem mais em conta.
Apresentei as duas opções deixei a escolha para o meu marido. Preciso dizer qual ele escolheu? 🙂
O Galindo é uma boa opção para quem quer experimentar a comida chilena: pastel de choclo, empanadas, reineta, cazuela e o famoso lomo a lo pobre são algumas das especialidades da casa.

Nossa experiência no Galindo

De entrada, pedimos as famosas empanadas de Pino, enormes e muito bem recheadas com carne, cebola e ovos. E foi lá que, enfim, matei a saudade do Pisco Sour , que é uma bebida tradicional a base de pisco, uma aguardente peruana feita da uva. A bebida também contém suco de limão, clara de ovo e açúcar, lembrando um pouco a nossa caipirinha.
Como prato principal, fui de Pastel de Choclo, um tradicional prato chileno à base de creme de milho e carne. Já o Antonio escolheu Lomo “a Lo Pobre”, um bife com cebolas fritas, batatas fritas e um belo ovo frito no topo- Certeza da felicidade para quem não quer “errar” na escolha do prato!
santiago-com-criancas-restaurante-galindo
Os pratos estavam ótimos e ficamos impressionados com o tamanho da porção do Lomo “a Lo Pobre”. Dá para dividir tranquilamente. Fica a dica! O ambiente não é dos melhores – mesas muito próximas e muito barulho- mas lá você encontra comida boa, com bom preço; algo não muito comum em Santiago.

Próximo ao restaurante está o Pátio Bellavista, um shopping a céu aberto repleto de bares, restaurantes e lojas de artesanato e sorveterias. Com crianças, preciso dizer qual foi o nosso próximo destino? 🙂

3. SHOPPING E PARQUE ARAUCO

Sinceramente, a ideia de visitar um shopping durante esse tipo de viagem não me agradou muito… Para quem mora no Rio, como eu, dificilmente um shopping poderia ter algo tão diferente que justificasse incluí-lo na programação.

Mas foram tantas indicações, que acabei cedendo. Tinha que conhecer o tal famoso shopping.  Na verdade, minha programação era o Parque Arauco, que fica em frente. Mas decidimos dar uma passada no Shopping para conferir.

Como eu imaginava que ia bater aquele soninho (depois do almoço, Lorena curte dormir um pouco) e só estávamos apenas com um carrinho, aproveitei para pegar um daqueles carrinhos infantis disponíveis no shopping e foi perfeito. Enquanto Lorena e Antonella dormiam, aproveitamos para passear e conversar um pouco.

Nossa experiência no Shopping Arauco

Ficamos impressionados com a estrutura e as lojas do shopping. Parecia que estávamos em Miami. Lá você encontra lojas de luxo como Carolina Herrera, Dolce & Gabanna, Emporio Armani, Ermenegildo Zegna, Louis Vuitton e Mont Blanc.

Mas vocês sabem que essas lojas não fazem muito o meu estilo, não é?! 🙂 A loja que fez meus olhos brilharem não foi uma marca de luxo, foi a Carters. Sim, tem Carters por lá! Uhú! 🙂

Mas calma, não, não se anime. Não dá para fazer o enxoval inteiro por lá! Os preços nem se comparam aos encontrados em Miami, mas dá para encontrar algumas peças com um bom preço. Comprei peças ótimas para a Antonella!

Dali, atravessamos a rua e fomos ao KIDZANIA , no Parque Arauco. Como nunca fomos a um Kidzania, achávamos que poderíamos pagar para a Lô brincar por hora, mas não. Lá descobrimos que o ingresso é por dia e que nós, os pais, também pagaríamos. Já era fim de tarde e achamos que não valia a pena.

Optamos então por conhecer a área de parques infantis do PARQUE ARAUCO, um parque público incrível, que foi, sem dúvida, um dos melhores programas da nossa viagem!  Ficamos completamente APAIXONADOS!

No próximo post conto como foi nossa experiência nos parques públicos infantis de Santiago. Prepare-se para se apaixonar como a gente!

santiago-com-criancas-parque-arauco-2

OBS: Uma ótima dica para fechar a programação do dia é a praça de alimentação a céu aberto do Shopping Arauco, com ótimas opções de restaurante. Sem grandes expectativas, ok? Não é nenhuma super novidade para quem mora em grandes cidades no Brasil, mas, ainda sim, uma ótima opção para quem estiver nas proximidades e desejar comer algo com os pequenos antes de voltar para o hotel.  

E aí? Gostou das dicas? já foi a santiago? 

tem em outras dicas? Compartilhe com a gente!

Como vocês sabem, eu leio e respondo TODOS os comentários! 

Grande beijo,

Pri Guerreiro

coracao-rosa.png.semfundo-4

PS: Dicas City Tour:

1- O ônibus de city tour oficial da cidade, é o da empresa Turistik. Eu não tinha essa informação quando fiz o planejamento da viagem e, por isso, acabei comprando os ingressos ainda no Brasil, por meio de um agência terceirizada.

Resultado? Sem qualquer necessidade, pelo mesmo passeio, paguei um valor bem maior do que eu pagaria se tivesse comprado diretamente no site da empresa. Aff…

2- Outro aspecto importante que eu também não sabia: existem postos da Turistik em vários pontos de turismo da cidade, inclusive, na praça de alimentação do Shopping Costanera, onde tínhamos ido no dia anterior, como contei aqui.

Ou seja: Podíamos ter comprado os tickets pelo site da empresa e retirado os ingressos tranquilamente no guichê do shopping, na saída do mirante do Costanera.  Informação preciosa. Fica a dica!

3- Você pode comprar o bilhete do tour por um ou dois dias. Eu optei por dois dias. Como o ônibus passava bem próximo do nosso hotel, decidimos devolver o carro na locadora e fazer todos os passeios de ônibus, o que não indico (principalmente se você está com crianças).

Apesar da ideia estar corretíssima, na prática, isso se tornou muito cansativo.

City Tour na prática

O City tour é bem agradável e é uma ótima oportunidade para relaxar curtindo o passeio e apreciando a cidade. Super recomendo!

O que, na minha opinião, realmente não vale a pena (principalmente com crianças) é usar o ônibus apenas como meio de transporte, já que ele anda super devagar e a cidade tem trânsito durante a semana.

Só para você ter uma ideia: O circuito completo leva quase duas horas. E, cá entre nós, ficar 30 minutos esperando o próximo ônibus e ainda perder mais um tempo grande ao longo do trajeto, irrita qualquer um.

Hoje entendo que se você quiser economizar ou simplesmente fugir dos taxistas,  mais vale utilizar um metrô ou um Uber para se deslocar pela cidade. Ambos funcionam super bem por lá! .

Por tudo isso, acredito que um dia de city tour é mais do que suficiente

2 Comentários

  1. Julians • em 24 de fevereiro 2019

    Olá Priscila, boa noite!
    Gostei muito do seu blog. Estou com viagem programada para o Chile na segunda quinzena de Junho com meu esposo e filho de 5 anos. Como já conhecemos Santiago, iremos para o Sul do Chile, mas estou com muito receio de pegar chuvas nessa época. Vc poderia me informar a duração dessa sua viagem e quantos dias em cada destino? Será que haverá neve em Chillan? Parabéns pelo blog, está me ajudando bastante no planejamento da minha viagem!

    • Priscila Guerreiro • em 5 de março 2019

      Oi July! Fico feliz que tenha gostado do blog. 🙂 Minha viagem aconteceu em Outubro. A temporada de neve no Chile começa no final de junho, por volta do dia 20. Às vezes um pouco antes, um pouco depois. Acho bem provável que você encontre neve em Chillán em junho, sim. Eu viajei em outubro e passamos cerca de 3 dias em cada cidade (Chillán foram dois). Foi meio corrido, mas deu tudo certo!

      Infelizmente, as chances de chuvas em junho são altas sim… Dê uma olhadinha no histórico de índices pluviométricos nas cidades para confirmar. Mas, em matéria de chuvas, eu me preocuparia mais com Pucón mesmo (como você deve ter visto no meu relato)… Mas, faça chuva ou faça sol, tenho certeza que sua viagem será incrível! Curta bastante com sua família! Grande beijo!

Deixe seu comentário!