26 maio 2017

Bariloche com crianças! – Parte 1

Na Toca com a Lola | Passeios e viagens com crianças

AMO viajar! Mas viajar com crianças requer um bom planejamento, como já contei aqui e aqui. Só agora, 2 anos e 9 meses após o nascimento da Lola, é que conseguimos realizar a nossa primeira viagem de férias de verdade. Destino: Bariloche- Argentina.

Então, como prometido, vamos ao relato da nossa viagem. Foi INCRÍVEL!! Já estamos com saudade…

Prontos para embarcar conosco?

20170515_212909-300x196

Acredito que quando viajamos, estamos mais abertos a tudo o que nos inspira: novos cheiros, novas paisagens, novos sons, novos sabores, novas emoções. Acho que daí vem essa minha paixão por viagens…

E quanto mais diferente em relação à minha vida cotidiana for esse lugar, mais encantada eu fico! Por isso curto tanto viajar para o exterior.

Para começar, o celular não funciona e passa a ficar limitado apenas à função câmera. Internet, só à noite, quando chegamos ao hotel. Detox digital total, que delícia! E, assim, passamos o dia desligados do mundo e dedicados a curtir juntos e a descobrir aquele novo lugar, aquela nova forma de viver; completamente entregues àquelas novas experiências. Muito eu! coracao-pretopngsemfundo-300x300

Apesar dessa minha paixão por viagens, nosso primeiro destino no exterior aconteceu quase 3 anos após o nascimento da Lola.

Mas será que é realmente preciso demorar tanto tempo para viajar depois que os filhos chegam? Claro que não! Resguardado o bom senso, isso vai depender muito do estilo do casal e do planejamento financeiro da família. Quando viajamos para o exterior, o que mais vemos são famílias viajando “de boa “ com bebês bem novinhos.

No meu caso, fui medrosa mesmo! Viajar para o exterior com um bebê me apavorava. 😊  Além disso, como vocês bem sabem, os gastos com um bebê são altos e, em meio à crise que assola o país e o mundo, haja coragem para enfrentar aquele câmbio pavoroso, com dólar nas alturas!

Cedo ou tarde, o importante é que decidimos que havia chegado o tão esperado momento e que o nosso destino seria Bariloche.

Como vocês também já sabem, eu adoooooro escrever! Assim, este relato está bem completo e, por isso, foi dividido em dois posts: neste primeiro, conto dicas importantes sobre o planejamento da viagem e, no segundo, que será publicado amanhã, conto o roteiro dia-a-dia. Espero que curtam bastante!

Por que Bariloche?

Por dois motivos simples:

1º) Porque nós ainda não conhecíamos a cidade e há algum tempo já desejávamos fazer essa viagem; e

2º) Porque eu desejava um destino que fosse relativamente perto para que a Lola não sofresse com longas horas de viagem.

20170513_062553-145x300

Mas apesar de parecer perto, para avaliar o quesito tempo, era preciso estar atendo para que a viagem não se tornasse uma odisseia.

Isso porque não existem voos comerciais direto do Brasil para Bariloche, a não ser aqueles tipo “charter“, que as operadoras fecham e vendem em seus pacotes. Como todos fazem escala em Buenos aires, esse era um ponto importante para a escolha adequada dos nossos voos.

favicon A escolha dos voos

São cerca de 3 horas de São Paulo a Buenos Aires. Depois, mais 2 horas e meia até Bariloche. No meio, existem escalas de 1:50h a 23h. Por isso, você deve estar atento a um fato importante:

A cidade tem 2 aeroportos: o Aeroparque Jorge Newbery (AEP),que fica a apenas 2 km do centro de Buenos Aires e o Ezeiza (Aeroporto Internacional Ministro Pistarini – EZE), que fica mais distante da cidade.

airports-buenos-aires-map-ezeiza-pistarini-aeroparque-newbery-194x300

O Aeroparque é o Congonhas/Santos Dumont de Buenos Aires. A diferença é que funciona para voos internacionais também. Assim, você deve pensar em cerca de 60 minutos de trajeto, caso precise trocar de aeroporto para continuar viagem.

Os voos internacionais podem chegar nos dois aeroportos, mas o voo para Bariloche, até onde eu saiba, sendo um voo nacional, só sai do Aeroparque. Ou seja, uma pequena equação de tempo de conexão precisa ser resolvida para se chegar a Bariloche.

Viajando com minha filha, optei por estabelecer os seguintes critérios:

  • Buscar um voos que partissem e chegassem no Aeroparque;
  • Buscar voos com o menor tempo de conexão, a fim de chegar o mais rápido possível, ou com o maior tempo de conexão disponível, a fim de pernoitar em Buenos Aires e continuar a viagem no dia seguinte.

Acabei conseguindo experimentar ambas opções:

– Na ida: saímos às 7:05 h de SP, com conexão de 1:50 h em Buenos Aires e chegada em Bariloche às 14:15 h.

– Na volta: a saída de Bariloche estava prevista para as 14:55 h e chegada em Buenos Aires às 16:55h. Mas já no aeroporto, descobrimos que o vôo tinha sido alterado para as 16:50h (sem qualquer aviso anterior da LATAM!).

Tirando as duas horas a mais no aeroporto de Bariloche (que é beeem fraquinho- nem restaurante tem, só uma cafeteria horrível!), tudo correu muito bem! Pernoitamos em Buenos aires (com direito a jantar no La Cabrera!) e retornamos ao Brasil no dia seguinte, às 11:30h.

Eu estava certa? Certíssima!! Nossos voos foram super tranquilos, em um tempo em que, ou a Lorena estava dormindo, ou estava distraída vendo seus vídeos ou brincando. Ela foi “de boa”!

Tirando as duas horas em que ficamos presos no aeroporto na saída de Bariloche pela mudança do voo, a viagem não chegou a ser cansativa para ninguém.

favicon Por que em maio, fora de temporada ?

Por três motivos:

1º) Como já disse, tinha muito medo de viajar com uma criança pequena para um lugar tão frio no inverno. Sou carioca, gente! Dá um desconto! 🙂

2º) Nunca tive o sonho de esquiar. Eu desejava muito mais curtir o clima de uma estação de esqui tomando um delicioso chocolate quente no restaurante do que, propriamente, esquiar. 20170516_180217-300x146

3º) Com uma criança pequena e um marido que odeia tumulto, achei que conseguiríamos curtir melhor passeios e lugares menos cheios, sem aquele frisson da temporada. De bônus, eu ainda conseguiria preços cerca de 40% mais baratos de hospedagem, passeios e restaurantes.

Eu estava certa? Por todos esses motivos que citei antes, sim! Mas eu não contava com uma coisa: a chuva!

Maio é um período de muita chuva então, durante alguns dias, o tempo estava chovendo ou fechadão, meio feio… Isso afetou um pouquinho a beleza de alguns passeios, como o Cruze dos Sete Lagos, que tem paisagens lindíssimas!

20170514_105811-300x146

Não, não chegou a comprometer o nosso planejamento de viagem, mas hoje eu pesquisaria também o histórico de índice pluviométrico da cidade pois a maioria dos passeios são externos. Acredito que os meses de outubro ou novembro, com menos chuva, sejam bem interessantes.

Clima_Bariloche_Argentina-300x186

favicon Onde se hospedar?

Essa é uma escolha difícil e muito pessoal. A cidade possui hotéis incríveis, mas, basicamente, você deverá fazer uma escolha: no centro ou mais afastado (esse mais afastado nem é tão longe! Se pegar um hotel fora do centrão, levará de 10 a 40 minutos de carro para chegar no centro).

Dá para ficar um pouco mais afastado, mas ir andando para o centro? Sim, claro que dá! Mas eu não recomendaria… Além do frio, Bariloche tem uma coisa terrível – principalmente para quem viaja com crianças- : O VENTO!! – Venta bastante, o que aumenta muito a sensação térmica de frio. Por isso, qualquer 15 minutos de caminhada passa a ser um sofrimento.

Decidimos então que ficaríamos em um hotel central por esse motivo e porque eu também queria ter um tempinho livre para caminhar pela cidade enquanto marido e filha descansavam no hotel, como eu já contei no post anterior.

Mas e agora, qual das opções escolher? Partimos então para o meu segundo critério: ter piscina aquecida, pelos motivos que eu também já contei aqui. Aí ficou mais fácil escolher, pois, como os hotéis no centro são menores, pouquíssimos dispõem de piscina.

Daí passei para o meu terceiro e não menos importante critério, o conforto e o design dos quartos.

Decidimos pelo Hotel Cristal e não nos arrependemos.  A localização é perfeita, bem no coração da calle Mitre, a rua principal da cidade.

Além disso, o Cristal é super perto de ótimos restaurantes. O “El Boliche de Alberto”,por exemplo, o mais famoso da cidade – e que amamos! Diga-se de passagem–  ficava a cerca de três quadras do hotel. Uma maravilha!

Além da localização, um outro GRANDE diferencial realmente foi a piscina aquecida, que é INCRÍVEL! Ver sua filha brincando alegremente na piscina depois de um dia congelante,  realmente, aquece o coração!20170516_225953-146x300

Achamos que o Cristal tem um ótimo custo-benefício. Preço bem justo para o que oferecem. Pode conferir!

O design dos quartos é um pouco antigo, mas não chega a comprometer a experiência. Os quartos são limpos, relativamente amplos, têm um bom aquecimento e dispõem de banheiras, o que para os pequenos é uma festa!!

Falando em aquecimento, esqueça aqueles pijamas super quentes e roupa de frio para ficar no quarto. Só ocuparam espaço na mala, já que tudo o que levei voltou intacto. Definitivamente, sinto muito mais frio na minha casa, em São Paulo, no inverno, do que no quarto do hotel em Bariloche, com temperatura a -1º, na madrugada. O aquecimento funciona, pode relaxar!

A minha dica, se você vai com crianças pequenas, mas que já andam, é aquilo que alertei no post anterior: opte pela segurança e peça um quarto interno, sem vista, mas mais seguro pela questão da janela não ser tão ampla e tão baixa. Eu tive que mudar de quarto. Por isso, sugiro os quartos 210 e 310, nos quais ficamos. São mais amplos e mais seguros do que os frontais.

favicon E as roupas de frio para os pequenos?

Essa é a maior preocupação de toda mãe brasileira quando viaja com os pequenos para um lugar tão frio como Bariloche, não é? Mas quanto a isso, não se preocupe!! E aqui vai uma GRANDE DICA: se você mora em um lugar quente e não tem muitas roupas de frio para os pequenos, compre aqui no Brasil apenas o necessário.

Sinceramente, eu me arrependi por ter comprados roupas a um preço alto aqui no Brasil e que não resolviam a questão do vento e do frio de Bariloche. Resultado? Lola em estilo cebola, cheia de camadas, tadinha! 🙁

Eu colocava mil roupas e ficava sempre com receio de que ela não estivesse bem agasalhada.20170514_105731-300x146

Encontrei lojas MARAVILHOSAS de roupas para crianças lá no centro da cidade – todas a, no máximo, dez minutos de caminhada a partir do hotel onde eu estava. Peças com um design bacana e que resolvem perfeitamente a questão da proteção dos pequenos com muito estilo.

Pena que eu só descobri isso quase no final da viagem, quando saí para caminhar sozinha … ☹ Tive que me segurar para não sair comprando. Afinal, eu voltaria para o Brasil em dois dias e as crianças crescem rápido, né?  Mas já valeu pelas dicas que consegui para vocês!

Preparados para fofurice em grau máximo? Aqui vai a minha seleção quentíssima!! LITERALMENTE!! 😊

coracao-pretopngsemfundo-300x300 Mimos e Co : 

Endereço: Mitre 570, San Carlos de Bariloche, Río Negro, Argentina

20170517_182526-156x300

20170517_182537-300x146

20170517_183004-180x300

20170517_213441-219x300

20170517_212936-182x300

20170517_213117-206x300

20170517_213211-146x300

20170517_213330-146x300

 

coracao-pretopngsemfundo-300x300 Cheeky

Endereço: Beschtedt 165, San Carlos de Bariloche, Río Negro, Argentina

20170517_190158-300x146

20170517_191349-146x300

20170517_220824-146x300

20170517_220854-231x300

20170517_221139-146x300

20170517_221256-146x300       20170517_213503-300x146

coracao-pretopngsemfundo-300x300 Grisino

Endereço: Quaglia 183, Local 5 (perto do Centro Cívico)

20170520_133841-300x223

20170520_135159-182x300

20170520_135335-146x300

20170520_135608-145x300

20170520_135901-151x300

Na Calle Mitre (a principal), existem diversas outras lojas com coisas fofíssimas, mas tem que ter paciência para pesquisar… 🙂

20170520_112134-146x300

20170520_113417-146x300

 

favicon Câmbio

Seguimos a dica do queridíssimo Ricardo Freire, do Blog Viajenaviagem e fizemos o câmbio no Aeroparque e deu super certo:

” Se você vai levar reais para a Argentina, tente fazer todo o câmbio no Banco La Nación, disponível em ambos aeroportos. Será a parada menos inconveniente e mais vantajosa para trocar seus reais. Em outros destinos da Argentina você não encontrará boa cotação para reais. O Banco Nación voltou a oferecer boa cotação para reais. Se você está viajando com reais, tente fazer todo o câmbio na chegada. A agência do Banco Nación funciona no saguão de check-in e abre diariamente entre 6h e meia-noite.”

No próximo post, contaremos nosso roteiro dia-a-dia.

E aí? Gostaram deste post? Se gostaram, não se esqueçam de curtir e deixar os seus comentários! Ah! E nos ajudem a divulgar a Toca, compartilhando a indicação do blog entre os amigos.

Grande beijo!

Pri Guerreiro favicon

 

2 Comentários

  1. Angela Ciancio. • em 4 de julho 2017

    Amei. Repita, por favor, as postagens anteriores. Fiquei mas tranquila para viajar com as netas. Obrigada.

    • Priscila Guerreiro • em 5 de julho 2017

      Oi Angela! Tudo bem? Fico muito feliz que tenha gostado. Mas, infelizmente, não entendi a sua solicitação… Poderia me explicar melhor o que você quis dizer com “Repita, por favor, as postagens anteriores.”? Todos os posts de Bariloche permanecem no blog, na aba superior “Na Toca Com a Lola”. É só clicar lá ou colocar a palavra “bariloche” na lupa do blog, que você vai encontrar todos os posts. Espero ter te ajudado. Grande beijo!

Deixe seu comentário!

Toca Lola Club

Seja parte do Toca Lola Club: receba nossa newsletter e participe de promoções, dicas e eventos exclusivos!